• Carioca da Gema

"Uma casa de bambas-A HISTÓRIA DO CARIOCA DA GEMA NA lAPa"curiosidades 9

Atualizado: Abr 22

Autor: Cesar Tartaglia




A noite dos galos 9

Noite de canja de Zeca Pagodinho no Carioca da Gema. E noite de o cantor reafirmar que, como poucos, junta numa mesma pessoa um artista de altíssimo nível e um caráter na mesma medida. Terminada sua participação no palco, o sambista saiu a distribuir 50 paus pra cada músico que o acompanhara – menos para os que já tocavam com ele na sua banda. Deu 50 pilas pro Silvão, outros 50 cascalhos pro Ari Bispo, mais um galo pro Walter Sete Cordas. Molhou a mão também do Márcio Hulk, mas o cavaquinhista não quis ficar com a grana e a repassou para o técnico de som Israel. Macalé e Jaguara, da personal cozinha musical de Zeca, passaram em branco. Terminado o rachuncho, o sambista, afogado pelo carinho dos fãs que o agarravam, pede socorro a Israel:

– Me tira daqui, me tira daqui...

Israel o resgatou para levá-lo ao Capela. No caminho para o restaurante, Zeca continuou a distribuir seus galos, mas dessa vez os beneficiários eram os travestis que lhe cruzavam o caminho. Israel olhava pra ele, entre espantado e admirado. E Zeca:

– A vida desses caras é muito difícil, cara!


Enquadrando o guri


Dessa mesma noite em que Zeca Pagodinho deu uma canja no Carioca da Gema, distribuindo uns galos para músicos (que o acompanharam no palco da casa) e travestis (que ele foi encontrando entre a saída do Carioca e uma esticada no Capela), resultou uma esticada. Era como se fosse ainda no Carioca, mas deu-se a história nas mesas do histórico restaurante da Lapa. Estavam lá, entre muitos outros músicos e amigos, Marquinho China, Macalé, Dudu, filho de Zeca, o técnico de som do Carioca da Gema, Israel, e, claro, o próprio sambista. Por alguma razão, Dudu cismou de querer versar com China. Puxava um partido na mesa, e mandava versos pra cima do músico do Tempero Carioca. Malandro, pra não ferir suscetibilidades, China desconversava:

– Deixa isso pra lá, Dudu. Hoje tô cansado.

Dudu, firme, mandava versos. Até que seu pai interveio, à sua maneira – emendando uns versos na cantoria do filho. Algo como “Mal saiu dos cueiros/tá cheirando a leite...”, por aí. Deu uma espinafração musical no guri. Avesso a cantorias no recinto, e sem qualquer sensibilidade para a arte que ali se fazia naquele momento, Chico, gerente da casa, mandou parar a bagunça. Zeca não se fez de rogado e, alto e bom som, para encerrar a noite, mandou o fecho: “Este bar é estranho/o gerente parece boiola/num pode cantar samba/mas pode cheirar Brizola”. Pano rápido e gargalhadas gerais.

32 visualizações
(21)98556-0834
av.mem de sÁ, 79

Razão Social: thianas eventos Ltda.

CNPJ: 14.022.532/0001-34

© 2019 by Carioca da Gema