qui., 26 de nov. | Carioca da Gema

Fernando Bento

Um dos principais nomes da nova geração de sambistas, o cantor e compositor Fernando Bento, de 37 anos, tem no samba-choro a base que alicerça sua promissora carreira artística.
A inscrição está fechada
Fernando Bento

Data e Local

26 de nov. de 2020 21:00
Carioca da Gema, Av. Mem de Sá, 79 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20230-150, Brasil

Sobre o Evento

Natural de Belo Horizonte, mas criado em Santa Luzia, na região metropolitana, iniciou sua carreira profissional aos 18 anos, acompanhando chorões do quilate de Sampaio do Trombone, Tião do Bandolim, Sílvio Carlos, entre outros. A performance nos regionais, porém, não afastou o filho de Eustáquio Rodrigues e Lindaura Bento do universo do samba.

Além do contato e aprendizado com os principais nomes da cena mineira, ainda jovem Bento acompanhava bambas do Rio, como Almir Guineto, Nei Lopes, Wilson Moreira, Nelson Sargento, Dunga, Zé Luis do Império, Pedrinho da Flor e Mauro Diniz. “Foi o Mauro quem me incentivou a estudar ainda mais as leis que regem a música”, relembra.

Na mesma época, foi incentivado por Luiz Carlos da Vila a assumir também o lado cantor. “Fernando Bento, você tem que cantar. Sua voz é muito bonita e seu timbre lembra o saudoso Roberto Ribeiro”, dizia o autor de Kizomba – A festa da raça, clássico da Vila Isabel. Desde então, o músico passou a revezar seu talento como cavaquinhista, arranjador e diretor musical, com a arte de cantar. O ponto de partida foi no Samba da Madrugada, roda que agitou as noites da capital mineira por quase uma década.

Compartilhe